terça-feira, 15 de novembro de 2005

Não estão a perceber

Eu não tenho medo de ser assaltada na rua, não tenho medo de ser violada, não tenho medo de levar um tiro, não tenho medo de me espatifar de carro, não tenho medo de tremores de terra nem vulcões, não tenho medo do mar bravo, não tenho medo de alturas, nem de animais de grande porte (os de pequeno, tipo ratos e afins, já me põem mais em sentido) .

E sempre acreditei que mais cedo ou mais tarde as pessoas têm que se confrontar com os seus receios! Eu não tenho medo de ser assaltada e nunca fui! Quem pensa muito nisso acaba por ser. Vocês sabem que eu penso assim!

Não tenho medo de nada que venha de fora para dentro. Tenho medo, isso sim, que o cabelo me caia todo, ou de ter herpes no cérebro, ou de ser estéril...

Mas sou uma destemida de resto! Venham eles! O microscópico é muito mais aterrorizante que o macroscópico para mim. Eu adoro trovoadas e não desligo os aparelhos de casa, não deixo de mexer em água, nem de me abrigar debaixo de árvores. Ai sim, sinto-me viva!!! Ou a levar porradões do mar como se não houvesse amanhã!

3 comentários:

AnaRito_AnaRita disse...

Pois está bem... esqueceu-se aí de uma coisa cara amiga!! ET'S!!!

Ah pois é!

Flica disse...

É verdade e a Rita bem sabe. Mas isso nem é bem um medo, é uma fobia! Sempre que estou num descampado à noite, só me apavora pensar que do nada, de repente, pode surgir uma nave espacial para me abduzir!

Flica disse...

ABDUZIR é lindo!