segunda-feira, 14 de novembro de 2005

A revelação

Amiguinhas, this may strike you as a surprise, porque eu sempre fui uma gaja altamente descontraída em relação a tudo, mas a verdade é que, no fundo, bem lá no fundo, eu sou uma hipocondríaca... É verdade! Ninguém se apercebe porque não deixo, eu abafo isto dentro de mim. Eu não me permito pensar por momentos na possibilidade de que algo pode correr mal algures numa das minhas infinitas células. Por isso não vou ao médico. E por isso não posso ver os filmes de série B dos casos da vida na TVI. Ah e o cheiro a éter faz-me desmaiar. Entro num hospital e fico com tonturas!

E agora, merda das merdas, vou ter que confrontar os meus piores receios: vou fazer análises! Já não faço desde os 5 anos e passava na boa mais 19 sem fazer! Mas lá vou eu, em braços, a agarrar-me à ombreiras das portas do hospital.

Afinal há uma coisa que me mete medo, eu que não tenho medo de nada! Pronto, já disse...

2 comentários:

AnaRito_AnaRita disse...

Welcome to the club amiga!!

É na boa! Eu sou = ainda que pior.

Estou contigo! E don't worry porque nós os hipocondríacos temos tendência para não ter nada de grave. Só na cabecinha mesmo :-)

juzita disse...

Pois é companheira...Ainda bem que há pelo menos algo que te aflige, sinal que estás viva! Todos nós temos medo de alguma coisa...Ou mesmo de tudo. A questão é que muitos desses medos, reveladores das nossas inseguranças, são diversamente exteriorizáveis e (in)conscientes...Esse corpo, proliferador de tanta ansiedade, funciona provavelmente e tão somente como capa protectora e sublimada do verdadeiro receio, com o qual não te permites confrontar.